Como identificar problemas neurológicos em pets

Quando o animal de estimação adoece, é natural procurarmos de imediato um profissional de clínica médica veterinária.

Mas, dependendo dos sinais, é possível ter uma ideia do que pode estar acontecendo com o pet. Problemas neurológicos, por exemplo, costumam causar sintomas bastante característicos.

Segundo o Dr. Alex Adeodato, especialista em Neurologia Veterinária, há alguns indícios que podem servir de alerta para o dono buscar uma investigação mais aprofundada sobre o problema de saúde de seu animal. “Os sinais mais comuns vistos nas doenças neurológicas em cães e gatos são fraqueza, paralisia, ausência de coordenação, desequilíbrio, surdez, crises convulsivas e intolerância a exercícios”, explica Adeodato.

O neurologista afirma ainda que os animais podem sofrer da maior parte das doenças neurológicas vistas nos seres humanos, como hérnias de disco, epilepsia, traumatismos cranianos, tumores cerebrais, fraturas de coluna entre outras. Tais doenças requerem investigações avançadas, que normalmente não estão disponíveis aos médicos veterinários clínicos gerais.

Embora ainda rara no país, devido à sua complexidade, a neurologia veterinária é uma ciência fundamental no diagnóstico preciso de doenças neurológicas em animais. O especialista é treinado para diagnosticar e tratar os que sofrem de doenças que afetam o encéfalo, a medula espinhal, os nervos e os músculos. Alex Adeodato afirma que quanto mais cedo esses problemas forem descobertos e tratados corretamente, maiores as chances de recuperação do animal.

Atualmente, é possível realizar exames com alta tecnologia que podem confirmar um diagnóstico neurológico e definir o tratamento e o prognóstico, tais como:

  • Coleta e análise do líquido cefalorraquidiano (líquor) – normalmente, são realizadas quando se buscam causas inflamatórias e/ou infecciosas no sistema nervoso central.
  • Mielografia – exame radiográfico com aplicação de contraste iodado ao redor da medula espinhal para visualizar lesões compressivas. Tem sido progressivamente substituída pela Tomografia Computadorizada e Ressonância Magnética.
  • Tomografia computadorizada – exame de eleição para diagnosticar lesões traumáticas no sistema nervoso central. A Tomografia permite visualização muito superior às radiografias tradicionais, pois possibilita uma avaliação direta do encéfalo e da medula espinhal. O exame é muito usado para diagnóstico das hérnias discais.
  • Ressonância magnética – exame de eleição para avaliação do sistema nervoso central, especialmente doenças que envolvem o encéfalo, uma vez que permite uma grande riqueza de detalhes dos tecidos.
  • Eletrodiagnósticos – comumente utilizados para avaliar doenças dos nervos periféricos e músculos. São ainda mais úteis se combinados com biópsias destes.

 


Dr. Alex Adeodato
Especialista em neurologia veterinária. Sócio-diretor da clínica CRV Imagem, na Barra da Tijuca. Com experiência de mais de 15 anos na área, o profissional é graduado em Medicina Veterinária e mestre em clínica veterinária, ambos os títulos pela UFRRJ. Adeodato, que também possui doutorado em Neurologia pela UNIFESP, é um dos poucos especialistas do ramo no Brasil, também estudou no exterior e atualmente ministra cursos e palestras em todo o país sobre Neurologia e Empreendedorismo Veterinário. O médico e sua equipe são referência em exames como Tomografia Computadorizada, Raios-X Digital e Ultrassonografia em animais domésticos e selvagens.


Be Sociable, Share!

Gostou deste artigo?

Assine nosso RSS feed para não perder nada

Outros artigos sobre , ,
Por • 28 Nov, 2011 • Seção: Neurologia, Saúde animal